Cadeira / Design Português

Sugestões
Alegro Setúbal

Cadeiras há muitas… Mas como estas não

por Bruna Pereira

Fizeram-se cadeiras que se dobram debaixo do braço, se reclinam para um sono, massageiam, embalam os mais pequenos, deslizam sobre rodas, ajudam a dar à luz e até electrocutam… Mas foi com o simples intuito de descansar o corpo que, há milhões de anos, os hominídeos bípedes procuraram os primeiros assentos, ainda em forma de pedras. Uma simples cadeira pode contar muitas histórias e as cadeiras do Alegro Setúbal contam uma 100% portuguesa que nos convida a sentar e a ouvir, sem pressas.

Desenhar uma cadeira igual a tantas outras que o mercado já apresentava não fazia sentido algum na cabeça de Pedro Gomes, o designer português convidado a fazer o mobiliário do Centro Comercial Alegro, apostando 100% na indústria nacional. O que se pretendia era a criação de uma cadeira inovadora, capaz de interagir com o espaço envolvente e com as pessoas. E, tal como escreveu Fernando Pessoa no livro “Mensagem”, “Deus quer, o homem sonha e a obra nasce” – e, no caso de Pedro Gomes, o sonho foi acompanhado de muito trabalho criativo no seu atelier, localizado em Aveiro, até nascerem, não uma, mas várias cadeiras às quais se juntaram as respectivas mesas.

Nas palavras do jovem designer português, o uso da madeira como material de excelência serviu para criar “um ambiente mais quente e sensorial”, que “tem vida, que respira e evolui com o uso das pessoas”. De notar que as vantagens deste mobiliário de design exclusivo, original e ergonómico passam ainda pela sua customização na zona da restauração – nas cadeiras e mesas, as pernas de metal podem variar na cor e garantem uma maior durabilidade e resistência às limpezas e uso diários. Para além disso, foram pensadas três versões diferentes de cadeiras (com braços, sem braços e de pé alto) e ainda mesas maiores do que é habitual na restauração, como explica Pedro Gomes: “para nós nunca fez sentido que um espaço de restauração fosse como uma cantina. Queremos dar espaço aos clientes para saborear a sua refeição, ler um livro, tomar notas ou usar o seu tablet”. Esta mesa, ao oferecer espaço extra e até um vaso decorativo, acaba por criar um ambiente mais acolhedor e igualmente prático, pois “o elemento vaso pode ser substituído por uma zona de fichas onde os clientes podem carregar os seus telemóveis e computadores”.

Quanto a públicos, todos têm um lugar reservado no Alegro Setúbal, já que a zona de restauração é palco para três ambientes exclusivos: a ilha digital gourmet (onde se podem consultar conteúdos e jogos multimédia nas mesas); a ilha relax (caracterizada por um ambiente mais zen, recatado e confortável); e a ilha família (cheia de cores vibrantes e diversão para pais e filhos).

Depois das cadeiras e das mesas, os horizontes de Pedro Gomes e da equipa Alegro alargaram-se ao design integrado do foodcourt (zona restauração), o que incluiu iluminação, sinalética interior e exterior e directórios digitais. Pedro Gomes confessa que esta abordagem integrada “foi muito motivante”, já que desenhar somente o mobiliário “era como começar a escrever um conto e deixá-lo a meio”.

Sabia que esta colecção 100% made in Portugal vai estar disponível para venda ao público, em 2015, através de um portal online? Mais novidades brevemente, em www.pedrogomesdesign.comwww.facebook.com/pedrogomesdesign e www.alegro.pt.

Tags
  • setubal
  • alegro
  • arte
Gostou deste artigo?
Be Social

Alegro Setúbal

Conheça o Centro Comercial Alegro Setúbal, as lojas, os sitios onde comer, os espaços onde descansar.

Saber Mais Outros Centros & Galerias Comerciais