Ver todos os artigos Let´s Talk

Lifestyle

5 destinos quentes para fugir ao frio

2 Janeiro, 2020 Bloggers Convidados

fugir do frio
Qual jetsetters, VIP’s, seja lá o que for! A verdade é que a fuga ao inverno europeu já data de há muito tempo e foi até precursora de coleções intituladas de cruise, dirigidas na altura a uma franja da população mas hoje é absolutamente transversal e, convenhamos, quem não gosta, tendo essa possibilidade, de gozar uns dias num destino quente enquanto o frio se faz sentir no seu país de origem, neste caso Portugal? Hum?

E se pensam que é muito difícil, que não podem ou não vão conseguir, é uma questão de organização e até de prioridades. Primeiro a fazer: nunca dizer nunca! Segundo: avaliar opções. Terceiro: orientar orçamentos. Quarto: prever, organizar, concretizar. Se não for este ano, pode ser no próximo. A ideia é que não deixem de o fazer se realmente isso vos interessa. É que viajar “fora de época” é quase sempre mais tranquilo (menos pessoas nos voos e nos locais de destino) e, até, mais barato...

Vamos a sugestões de destinos por onde já passei que podem interessar-vos enquanto faz um frio de rachar por aqui?

Cabo Verde – Ilha do Sal

Viajei para Cabo Verde há aproximadamente dois anos. É aquele tipo de viagem resort TI ideal para quem tem de gerir férias com miúdos. Há tudo no hotel e quase não é necessário sair; na realidade, na Ilha do Sal, à parte do pequeno centro da vila e do porto onde chega diariamente o peixe (giro de observar), pouco há a fazer. Claro que existe um sem fim de excursões que vos levam a conhecer a ilha, percursos de moto 4x4 para percorrer as dunas e assistir às mais belas paisagens (e praias, algumas dedicadas à prática de surf), mas resumindo tudo muito resumido, é de praia que falamos. Sol, praia, piscina, e isso é perfeitamente fazível num hotel TI com a família toda junta. Para além disso, estamos a falar de um destino a 4 horas de Lisboa de avião, o que é um bónus.

Maurícias

Muito à semelhança de Cabo Verde, mas menos árida e muito mais tropical. Mais bonita até. Nas Maurícias, vive-se rodeado de palmeiras e vegetação tropical, sumos de fruta, piscinas que entram dentro da água do mar (mais quente do que a de Cabo Verde) e embora a cidade de Pourt Louis seja tida como o centro para visita (com o seu mercado), a ideia aqui é gozar muito o hotel e menos a cidade. Até porque a maioria dos quartos dos resorts dão acesso a praias quuuase privativas. Recarregar baterias por certo em paisagens idílicas. Não estranhem se nas praias forem abordados por vendedores que falam francês convosco... As Maurícias ainda mantêm a influência francesa!

Cuba

Cuba é uma experiência muito enriquecedora mas muito marcante. Havana é um centro vivo de cultura e História, mas o embargo interacional penalizou muito a cidade e as suas gentes. Há pobreza óbvia – é preciso ir preparado para isso. Em todo o caso, a população é (aparentemente) alegre e culta (outra coisa não seria de esperar de uma cidade com um sistema educadional forte). Para ir a Cuba é preciso parar uns dias em Havana, explorar a cidade (a avenida Malecón), olhar para as suas gentes, maravilhar-se com os carros ainda antigos, parar na casa de Ernest Hemingway e visitar o seu café favorito (no centro de Havana), fumar um charuto cubano, conhecer a Plaza de la Revolución, comer lagosta e outros pratos típicos em casas de particulares (façam-no com o aconselhamento de um guia e será uma experiência excecional!)... Depois, seguir para Varadero e gozar uns bons dias do calor cubano, já embevecidos pela cultura deste povo.

Dubai

Vivi no Dubai por um período de um ano e meio e posso dizer-vos que é o país que menos me encanta mas mais me deixa saudade – estranho, verdade? Acho que quando a nossa vida passa por um determinado destinado, o nosso coração fica lá um bocadinho... e nunca mais volta. O Dubai é o luxo, o glamour, a vida fácil (não significa que a tenha tido), o efémero e o... artificial. É o exemplo mais puro da obra do Homem. Mas, mesmo assim sendo, apresenta um contraste de culturas absolutamente interessante e uma vida vibrante – diurna e noturna. Viajar para o Dubai é viver constantemente em clima de luxo e resort, mas também é preciso ir a áreas mais tradicionais como o Creek e os mercados de ouro, têxtil, especiarias; visitar as grandes obras como o Burj Khalifa mas parar para comer no Zaroob na Sheik Zayed Road e dividir mesa com os locais. Aconselho o Dubai pelo contacto com a cultura árabe moderna, cosmopolita, já muito ocidental. 4 dias são suficientes. Ah!, e também há praia... e nesta altura do ano faz um calor razoável (esqueçam ir lá no nosso verão!).

Brasil

O Brasil é água de coco, praias que lembram o sotavento algarvio (que eu amo!) mas conseguem ser ainda mais quentes e de paisagem mais tropical, boa comida (e barata), música que aquece o coração, pessoas show, vida leve, sorriso fácil. Independentemente do destino no Brasil – estive em dois: voei para Recife e fiz Porto de Galinhas e Maragogi e ainda Salvador e viajei até ao Morro de São Paulo. Não conheço o Rio (de Janeiro), mas a avaliar pelas outras cidades valerá certamente a pena visitar o ponto referência deste país. O Brasil não recomendo tanto para uma viagem em família – é melhor opção para casais e/ou amigos; a questão é simples: o Brasil não é tão inseguro quanto os media nos fizeram crer, mas é verdade que se vive um clima de tensão nas cidades (nas áreas mais turísticas, a vida faz-se mais à vontade). O Rio de Janeiro talvez seja a cidade mais “tensa”, atualmente. Dito aliás por brasileiros...

Nota: mais detalhes, dicas e outras sugestões acerca destes e outros destinos no meu perfil de Instagram em @ineslisboncover
Artigo escrito por Inês Santos Alves do blog @ineslisboncover
Bloggers Convidados

Bloggers Convidados

Conhece todos os posts

Partilhar

Gostaram deste artigo?

Artigos Relacionados