Ver todos os artigos Let´s Talk

Moda

Dicas para comprar roupa, seguir as tendências e organizar o roupeiro 

10 Maio, 2019 Vera Pinheiro

Vera Pinheiro - Blogger Let's Talk

Peças chave para a Primavera/Verão

Quantas vezes não dizemos, para nós mesmas ou em voz alta, que não temos nada para vestir? Muitas! Especialmente quando muda a estação e, simplesmente, porque, com o excesso de informação (a todos os níveis) sentimos alguma pressão para seguir determinadas tendências de moda, o que pode limitar um pouco as nossas opções no dia-a-dia. 

E a verdade é que nem sempre as tendências significam que temos de comprar roupas ou excesso de coisas. A tendência é saber fazer as compras mais acertadas, com peças chavecom vida e, ao mesmo tempo, versáteis que se conjuguem entre si dando a ideia de que temos muito mais roupa no roupeiro, do que aquela que realmente temos. Para além disso, é cada vez mais importante perceber que investir um pouco mais numa determinada peça de roupa traz muito mais vantagens do que desvantagens.  

Já viu a quantidade de roupa, acessórios e calçado que consegue “destralhar”? Talvez não tenha a estratégia mais adequada e talvez as idas às compras sejam fruto da necessidade do momento e não de uma reflexão feita previamente que lhe permita ter uma visão clara e objectiva das peças de roupa de que realmente precisa. Já pensou nisso?  

Já pensou as vezes que compra sucessivamente o mesmo tipo de artigos e que isso poderá querer dizer que, provavelmente, seja preciso investir em peças chave de maior qualidade e que durem mais tempo? 

Vejamos se o seu guarda-roupa apresenta, mais ou menos, estas características:  

1. As cores


  • Uma cor base no seu roupeiro, por norma será o preto ou o azul. 

  • Peças de roupa de cores predominantes para conjugar de forma versátil: branco, cinzento e o beije. 

  • Peças chave com uma ou duas cores tendência, por exemplo, para a primavera/verão deste ano, tem os amarelos, os verdes, os vermelhos ou o violeta. 

2. Peças chave para a primavera-verão


  • Blusa/camisa branca; 

  • Top básico em preto e branco (as t-shirts de algodão são versáteis e um bom investimento); 

  • Uma saia (plissada, midi, lápis, etc…); 

  • Um par de jeans (aquele modelo que lhe assenta mesmo bem); 

  • Um par de calças clássicas (pretas, de preferência); 

  • Um blazer; 

  • Sapato clássico com tacão (preto e/ou beije); 

  • Um casaco/ camisola de malha/caxemira; 

  • Um trench coat; 

  • Um par de ténis confortável. 

3. Sugestões de peças chave

.
Lembre-se, vivemos em plena era do minimalismo e do slowliving em que mais do que nunca o lema do “menos é mais” se tornou uma máxima de vida. E, neste contexto, a ideia é precisamente alertar para o excesso de coisas das quais não precisa.  

A ideia não é deixar de comprar roupa, a ideia é comprar com inteligência, ou seja, comprar menos, mas de melhor qualidade. Deixar de comprar aquela peça apenas porque é barata ou porque nos deixamos influenciar pela amiga, por alguém que vimos numa revista ou seguimos nas redes sociais.  

É importante percebermos as nossas necessidades reais, estipular um orçamento e as prioridades. Abrir as suas gavetas ou armário mais vezes e conseguir ter uma visão global da sua roupa também ajuda. Assim como, olhar e perceber que existe uma harmonia, que faz com que as conjugações, no seu dia-a-dia, sejam instintivas e automáticas. 

Boas compras!  
Vera Pinheiro

Vera Pinheiro

Conhece todos os posts

Artigos Relacionados